Controle a respiração

Controlar a mente pode ser um grande desafio, mas você pode controlar a respiração!

A mente é, por natureza, a senhora do corpo, é ela que comanda a direção dos sentidos e seu estado determina o modo como vemos e interagimos com mundo que nos cerca. Mas ela é também vulnerável, quando fragilizada não tem condições de exercer seu papel. Essa vulnerabilidade deve ser levada a sério, não só as condições externas a afetam, mas também nosso complexo corpo-respiração-sentidos.

As práticas pacificadoras do yoga se dedicam a oferecer experiências que equilibram esse complexo. A possibilidade de você interferir nas condições externas é mínima. É mais inteligente nos dedicarmos a equilibrar o interno.

Quando entendemos a dinâmica corpo-respiração-mente, nos damos conta da necessidade de buscarmos técnicas que equilibram esses estados.

ENQUANTO TEMOS DE UM LADO O CORPO FÍSICO COM SUA CONCRETUDE, E DE OUTRO A MENTE, COM SUA SUTILEZA, A RESPIAÇÃO SE APRESENTA COMO ELO QUE MOSTRA A INTIMIDADE ENTRE ESSES DOIS MUNDOS.

A prática de sensibilização da respiração é considerada uma ferramenta de pacificação e melhoria da mente tão importante para o adulto que renomados praticantes da Índia antiga indicavam que ela fosse feita em quatro diferentes momentos do dia. Entre os efeitos mais aparentes está a redução da hiperatividade e o desenvolvimento da concentração e da capacidade de interiorização. A sustentação da concentração no ritmo respiratório atua fortemente sobre uma das esferas mentais, aquela que é responsável por se vincular à percepção sensorial e aos pensamentos mais automáticos e repetitivos.

Uma das razões pela qual são prescritas práticas respiratórias como treinamento preparatório para a meditação e para a contemplação é o fato de que a respiração é um objeto mais perceptível do que a mente. Interferir sobre o ritmo e a qualidade da respiração é muito mais fácil do que interferir sobre a atividade mental.

Sente-se de forma confortável, deixe sua coluna reta e sinta sua respiração, alguns minutos. Inspira em 6 tempos, solta em 6 tempos. Observe o tempo entre uma inspiração e uma expiração.

Sinta como sua mente se aquieta!

Namastê!

Maria Thereza Ferreira

Texto de referência: Jorge Knak, Professor de Yoga, Funcionário Público, pai de três filhos. Dedica-se ao Yoga na tradição de Krishnamacharya. Estudou na Índia com os Profs.TKV Desikachar, Kausthub Desikachar, S. Sridharan, Dr. Chandrasekaram e outros. Desde 2013 estuda com o Prof. Paul Harvey (Inglaterra), aluno direto de TKV desde 1976 e criador do “Centre for Yoga Studies” em Bristol.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *